É normal sentir dor lombar?

A dor lombar, ou lombalgia, é queixa comum em todas as faixas de idade. Ela é considerada a maior causa de incapacitação no mundo, além de ser o segundo motivo mais frequente de faltas no trabalho, de acordo com um estudo recente publicado no jornal médico The Lancet.

Em uma pesquisa realizada pela Organização Mundial da Saúde (OMS), estima-se que 7 em cada 10 pessoas, ao longo da vida, vão sentir esse tipo de dor nas costas, principalmente nos países industrializados.

MAS POR QUE A DOR LOMBAR ATINGE TANTAS PESSOAS?

Localizada na parte inferior da coluna, a região lombar é formada por vértebras (os ossos que compõem a coluna) que conectam o tórax, a cintura e as pernas. Essa estrutura permite que você faça a maioria dos movimentos, além de garantir que possa ficar em pé, levantar e andar. Ou seja, ela é responsável por grande parte da “carga” do nosso corpo, prova disso, é que a dor lombar é o sintoma de mais de 50 doenças, e uma delas é a Hérnia de Disco.

AS PRINCIPAIS CAUSAS DA DOR LOMBAR

As causas comuns incluem: carga excessiva, falta de exercícios físicos regulares, obesidade, doenças reumáticas, envelhecimento e até fatores emocionais podem estar relacionados.

SINTOMAS

A dor é o sinal primário de lombalgia. Confira a seguir alguns dos principais sintomas:

Dor que se inicia de maneira súbita na região lombar;

Irradiação ocasional da dor para os glúteos e/ou coxas, até os joelhos;

A dor se agrava com o movimento, ao sentar-se, parar, levantar objetos ou inclinar-se.

TRATAMENTO

É muito importante salientar que independentemente da duração e intensidade da dor, o indicado é, ao surgimento dos sintomas, que a pessoa procure ajuda de um profissional especializado, evitando assim que o problema se agrave.

A primeira opção de tratamento é sempre conservadora, com terapia específica indicada por Fisioterapeuta. Via de regra, o tratamento é baseado em exercícios específicos, além da educação do paciente.

Você sofre de dor nas costas? Podemos te ajudar. Entre em contato conosco!

Fonte: UOL/SBOT/DR HERNIA